Ele se auto-intitulava “O seu agente da casa própria”.

Era presidente de associação comercial de corretores, já tinha uma boa carteira de clientes e um fluxo bacana de pessoas através de recomendações.

O foco dele era trabalhar com perfil de cliente Minha Casa Minha Vida, mas ele queria mais. 

Quando ele fechou conosco, ele já tinha um fluxo de 2 a 4 clientes por mês através da sua rede de contatos.

Ele tinha uma meta ousada. A gente comprou a briga com ele e fomos para a guerra.
Ele pegou o gosto por anúncios patrocinados. Nos primeiros meses a notícia era: “Uau! Um imóvel por mês vindo das mídias sociais!”

Ele foi confiando nos resultados vindo das mídias sociais e através do processo de construção de autoridade, os posts “fundo de funil” começaram a dar muito resultado, tais como este:
Fomos criando uma confiança enorme no trabalho e aumentando investimentos em impulsionamento. O processo foi feito impecavelmente do jeito certo.

Cada mês, cada venda, cada abordagem era a confiança de que estávamos no caminho certo.

Até que chegou um dia e ele compartilhou seu sonho, seu desejo e sua vontade:
“O que precisamos fazer para bater cinco vendas de apartamentos MCMV por mês?”

Num primeiro momento era incrível para nós vender um ou dois apartamentos por mês. Sabíamos que era um cliente diferenciado, apaixonado pelo que fazia e que tinha “sangue nos olhos”.

Dava para confiar. Era um projeto ousado.

Mas ousadia é algo que nos move, algo que nos inspira e algo que nos faz querer dar o próximo passo juntos.
Em menos de quatro meses depois de definir as estratégias de anúncios, conteúdo e alinhar todas as ações, eis o resultado:
Nosso coração se encheu de alegria: meta batida! Agora os próximos passos são manter esse número mês a mês. E por que não aumentar a meta para 10?

Essas e outras histórias você continua acompanhando por aqui. 

Mas a minha pergunta é: quando a sua história vai aparecer aqui?
PS: Preservamos os nomes e perfis dos clientes justamente por divulgarmos números e dados sobre cada negócio. Entretanto, todas as histórias aqui contadas, são de clientes (ou ex-clientes) reais.